Harmonizações em Casa

Por vezes em nossa casa, gostamos de preparar um jantar mais especial, com o intuito de partilhar com aqueles que nos são mais próximos um bom momento gastronómico, de descoberta, de novos sabores, texturas e harmonizações. Para estas ocasiões, a escolha dos vinhos para a refeição é sempre crucial e precedida de alguma reflexão, culminando em escolhas que às vezes  correspondem (mais ou menos) aos nossos desejos...
 


 
Este jantar foi uma dessas ocasiões, que serviu de celebração para um noite simplesmente especial, para partilhar com a minha esposa. O menu compôs-se de um carpaccio de maçã e queijo de cabra como entrada, e para o prato principal tagliatelle de peru com molho de cogumelos.
 
Para acompanhar o carpaccio seleccionei um espumante Marquês de Marialva Bical 2007 (produzido pela Adega Cooperativa de Cantanhede na região da Bairrada, PVP 9,99 €),  que se apresentou no flute com bolha viva, numa bela cor amarelo-pálido. Nariz a incidir na fruta amarela, marmelo cozido, panificação e tosta. Na boca a cremosidade domina um conjunto gastronómico, vivo e crocante, acidez bem integrada, terminando redondo sobre sugestões tropicais (ananás). Como sou adepto das harmonizações em contraste, penso que a ligação podia ter sido melhor conseguida, com um branco elaborado a partir de Antão Vaz ou Viosinho por exemplo, uma vez que a acidez bem vincada da maçã e do queijo de cabra limitou a expressão do espumante bairradino.



Na fase seguinte, o Quinta dos Carvalhais Alfrocheiro 2006 (produzido pela Sogrape na região do Dão, PVP 12,83 €) acompanhou o prato principal. Grande era a expectativa sobre o comportamento deste vinho à mesa, uma vez que a Quinta dos Carvalhais é um dos produtores mais consistentes no mercado nacional do ponto de vista qualitativo. De cor granada, este tinto  presenteia o nariz com aromas de fruta vermelha bem madura e óptima frescura dada por sugestão de folhas de menta. A frescura mantém-se na boca, bela acidez e vivacidade, notas minerais, taninos integrados, final médio a longo envolvido em fumados e alguma fruta. Vinho gastronómico quanto baste, harmonizou bem com o tagliatelle (nomeadamente com o molho de cogumelos), embora um prato baseado nas carnes vermelhas pudesse enfrentar os seus taninos com outras armas.

 

As receitas sugeridas no site da Sogrape (http://www.sograpevinhos.eu/gourmet/vinhosereceitas) serviram de base para a elaboração deste jantar, e por isso aqui vos deixo o link para poderem também investigar.

Sem comentários:

Enviar um comentário

UA-64594990-1