Sabores orientais: mais uma desculpa!


Um jantar há muito adiado aconteceu finalmente este sábado: um desafio de cozinhar um variado número de pratos com origens orientais (o que levou cerca de 3 horas a preparar tudo). Desde já o meu obrigado e respeito pelas cozinheiras de serviço!

Quando o festim começou, a mesa estava repleta de pratos a ansiar por serem provados e para iniciar as hostilidades, abriu-se uma garrafa magnum de espumante prosecco Extra Dry Sant’Orsola.

Enquanto se petiscava umas estaladiças e gulosas tiras de frango fritos cobertas com amêndoa ralada, este prosecco mostrava-se um acompanhante interessante:
bastante refrescante com traços de frutos suaves, com uma boa acidez e gaseificação persistente. Uma simples mas boa surpresa!



Para acompanhar pratos mais complexos como carne de porco agridoce, caril de frango ou massa chinesa com cogumelos selvagens e algas, foi altura de abrir uma garrafa de Guarda-Rios Tinto 2008 de Vale D'Algares.
Desde a primeira vez que me foi apresentado pelo meu amigo e colega enófilo Jerónimo durante uma mítica estadia na aldeio do Meco que fiquei fascinado. Desde então que está bem alto no meu top de vinhos dessa gama e neste momento apetrecha a minha (pequena) garrafeira para aquelas ocasiões de ultima hora onde queremos ainda assim marcar a diferença pela positiva.

Mais uma vez, não me desapontou nem um pouco... e foi desta vez a surpresa para os outros da mesa que não o conheciam. Este vinho regional ribatejano com 50% Syrah, 20% Touriga Nacional, 15% Alicante Bouschet, 10% Merlot e 5% Cabernet Sauvignon causa sempre boa impressão em qualquer ocasião que se apresente. Uma pequena nota em relação sobre a já existência de um pequeno depósito no fim da garrafa, mas nada a apontar em relação ao sabor. 


O carácter, os frutos negros, os taninos bem balanceados, a madeira, o aroma bem vincado e persistência agradavelmente duradoura estavam todos lá ainda! Está na altura de os tirar da garrafeira e partilhar entre amigos!

1 comentário:

  1. Amigo Gonçalo, grande desafio a harmonização de vinhos com os pratos que mencionas, e parece que correu lindamente!! Partilho as tuas ideias sobre o Guarda Rios 2008 Tinto, de um produtor que a par da empresa Pinhal da Torre considero estar no top do que faz na região do Tejo... De facto faz sempre boa figura em qualquer mesa e impressiona os sentidos positivamente. Até ao início de Abril estará na Feira de Vinhos do Pingo Doce a "apenas" 4,99 €... Sem comentários :-)

    ResponderEliminar

UA-64594990-1