Quinta da Murta - tanto pedi que consegui!

É verdade, tanto pedi que lá consegui finalmente provar.

E provei-os quase todos, o que é bom sinal.

Mas antes disso, vamos aos porquês. Porque é que eu nunca tinha provado? Nunca tinha calhado, acho que é a melhor resposta. Estiveram no ECVS(mas não em 2012...) e acho que estiveram no Summer Wine Market, mas não me lembro de ter provado.

Calhou, por ser uma sugestão de um blogger (obrigado Rui, AKA Pingus Vinicus, que até tem um blog do caraças, aqui!!), que estariam em prova, numa superfície comercial da margem sul, que por acaso me tem dado boas coisas a beber...

Surpresa das surpresas, estava lá o enólogo e o proprietário! E assim foi, sem se dar conta, uma hora de conversa animada, acerca de vinhos, dos deles e de outros, da casta que faz o nome á casa(Arinto), dos objectivos e ambições da casa e até de algumas filosofias prevalentes á condição do vinho branco, na ideia do consumidor português.

Mas, o post alonga-se e fala-se pouco de vinhos. Portanto:

Quinta da Murta Arinto 2011

É o vinho de entrada da casa. Bem feito e perfeitamente aceitável se o bebermos agora, mas cheira-me que se vai portar muito bem por mais uns anos.

Seco, mas frutado, não enche a boca de uma maneira abusiva, revela-se mesmo muito bem integrado, as pecinhas todas bem coladas.

Vai ser grande companheiro para o Verão, se tiverem paciência e força de vontade para esperar até lá.

 

Quinta da Murta Clássico Arinto 2009

Sou adepto incondicional, dos ditos brancos de inverno. Daqueles que se bebe, com prazer agora e ao fim do primeiro gole, especula-se logo da suposta longevidade do mesmo.

De laivos doirados bem marcados, é o suposto "grande" branco da casa.

Gordo, especiado, fruta madura bem envolvida numa acidez irrepreensível e sublime.

3 meses de battonage em carvalho americano e francês e um ano de estágio em garrafa, 12,5% de álcool e um vinho que entra imediatamente na galeria dos favoritos!



Quinta da Murta Super Reserva Bruto 2008

É bom. É o melhor elogio que lhe posso fazer, porque embora goste muito de espumantes, sou o pior critico deles.

Gosto de todos e provo/bebo regularmente, juntamente com vários pratos de diferentes complexidades.

Este, bem... vou arriscar um bom prato de marisco, algo simples. Não pede mais e vai portar-se que nem um leão!
 


Vale da Murta Touriga Nacional & Syrah 2009

O único tinto da casa e bem bom por sinal. É um blend que a solo, não me diz muito. Nem gosto muito de Syrah, nem de Touriga Nacional.

Herege, eu sei...

 
 
Está bem envolvido o lote, tem estrutura e acidez que dão bom pronuncio para guardar, mas na minha opinião é abrir e provar. E mandar vir mais uma...

Ao fim e ao cabo, gostei muito deste momento, hora e pouco de boa conversa e convívio em 3 línguas diferentes. O que é sempre bom, sempre dá para treinar o francês!

Obrigado Hugo!

Merci Franck!

Ficamos a dever uma visita á quinta!

1 comentário:

  1. Meu caro,
    Foi um prazer conhecer-te (mais à tua família!).
    È muito importante saber que existem pessoas como tu que apreciam a paixão e dedicação que todos nesta equipa põem em cada acção que realizam.
    muito obrigado por lá teres ido.
    Muito obrigado por este relato.

    ResponderEliminar

UA-64594990-1