Dão Capital 2015

Pela mão da Revista de Vinhos, a Comissão Vitivinícola Regional do Dão e a Rota dos Vinhos do Dão trouxeram até Lisboa uma amostra dos melhores vinhos da região do Dão. O local escolhido foi o magnifico Palácio Foz, nos Restauradores, que, vinhos à parte, merece com certeza uma visita.
Confesso amante dos vinhos do Dão, está claro que não podia faltar e procurar conhecer novos produtores desta região que nos últimos anos têm crescido em quantidade e qualidade. Como seria de esperar, as surpresas foram muitas, tanto pela descoberta de novos produtores (Seacampo, Quinta dos Monteirinhos, Adega de Penalva, entre outros) como pela constatação da qualidade dos vinhos de alguns produtores já conhecidos (Quinta dos Roques, Casa da Ínsua, Fonte do Gonçalvinho, Casa da Passarella, Quinta Mendes Pereira, Quinta da Vegia, entre outros).

Entre conversas animadas, muita simpatia, e histórias à mistura, provaram-se muitos e bons vinhos. Nos brancos, destaque para o Villa Oliveira Branco 2012 (Casa da Passarella) um Encruzado com uma mineralidade e frescura fantástica, Cav Branco 2013 (Seacampo) feito a partir de Vinhas Velhas com perto de 70 anos com muita elegância e grande relação preço/qualidade, Casa da Ínsua Branco 2014 (Casa da Ínsua) um blend com Semillon - sendo o único produtor do Dão autorizado a usar esta casta - com ótima relação preço/qualidade, Quinta Mendes Pereira Encruzado Reserva Branco 2012 (Quinta Mendes Pereira) um Encruzado com boa frescura, mineralidade e persistência.
Nos tintos, destaque para o Cav Tinto 2008 (Seacampo), Quinta Mendes Pereira Touriga Nacional Reserva 2010 (Quinta Mendes Pereira) um Touriga com taninos muito envolventes e bastante persistente e ainda com muito para evoluir em garrafa , Adega de Penalva Reserva 2010 (Adega de Penalva) e Penalva 50 (Adega de Penalva) ambos vinhos bem conseguidos com todas as características que se procuram nos vinhos do Dão e boa relação preço/qualidade, Quinta dos Monteirinhos 2011 (Quinta dos Monteirinhos) muito rico e elegante e envolvente foi um dos bons achados nesta mostra, e para terminar o Quinta da Vegia Superior 2007 (Quinta da Vegia) um vinho muito sério e com uma complexidade e elegância acima da média.

(Palácio Foz)

(Villa Oliveira Branco 2012, Casa da Passarella)

(Flor da Maias 2012, Quinta dos Roques)

(Quinta dos Roques)

(Quinta Mendes Pereira)

(Adega de Penalva)

(Borges - Quinta de São Simão da Aguieira, Sociedade dos Vinhos Borges)

(Cav 2008, Seacampo) 

(Casa da Ínsua)

(Vegia Superior 2007, Quinta da Vegia)

1 comentário:

  1. Amigo Jerónimo, foi com muita satisfação que li este teu artigo, ao constatar que a região demarcada do Dão continua em efervescência, com muita vida e muitas novidades também. Continua a ser a minha região favorita para os vinhos portugueses, e espero que este texto incentive muitos dos nossos leitores a provarem, beberem e terem cada vez mais vinhos do Dão nas suas mesas!

    ResponderEliminar

UA-64594990-1