Prova Vertical - Têmpera - 2005 a 2008 - QMdO

Tudo começou quando generosamente me ofereceram duas garrafas de Têmpera de dois anos distintos - 2005 e 2008. Imediatamente fiz um sorriso de orelha a orelha. É que na minha garrafeira estavam garrafas de dois outros anos - 2006 e 2007. Parecia predestinado - uma prova vertical aconteceria no próximo encontro familiar, nada mais nada menos do que a consoada e ceia de Natal.
E assim foi. Não é todos os dias que se tem a possibilidade de fazer uma prova destas. Só posso dizer que foi especial, absolutamente ao nível da data que se celebrava.

Quem conhece os vinhos da Quinta do Monte d'Oiro (QMdO) sabe que o Eng. Bento dos Santos não brinca em serviço. São vinhos polidos, com muita personalidade, extremamente gastronómicos e sempre de grande grande nível. Desde uma prova comentada pelo próprio Eng. na Garrafeira Nacional em outubro de 2011 que sou fã incondicional e desde então tenho adquirido e bebido vários dos néctares produzidos pela QMdO. Não são os vinhos mais em conta que tenho na garrafeira, mas posso dizer que a relação preço/qualidade é extremamente positiva.

Mas vamos então aos vinhos da noite. Os Têmpera - que já tinha bebido as encarnações de 2006 e 2007 - são vinhos elegantes, polidos, onde as notas de fruta vermelha madura se equilibram muito bem com os aromas profundos e diversificados conferidos pelos estágios prolongados em barricas de carvalho francês. Uma magnífica homenagem à Tinta Roriz, certamente do melhor que já provei desta casta.

De facto há uma consistência notável entre os quatro anos provados desta feita, sendo que, como era expectável, a complexidade e a elegância vai aumentando à medida que se vai de 2008 para 2005. O mais antigo, principalmente depois de algum tempo para respirar, foi a estrela da noite. Mas mesmo o mais recente está já num ponto muito positivo de consumo, em nada desiludindo em relação aos seus antecessores.

Em termos gastronómicos e como aliás era de esperar, os Têmperas mostraram uma versatilidade enorme, acompanhando muitíssimo bem os diversos pratos da noite - bacalhau assado no forno com puré e tomatada, leitão da Bairrada e perna de peru recheada com patê de pato, amêndoas tostadas e alcaparras.

Resta-me agradecer ao Eng. Bento dos Santos e à sua Equipa pelos excelentes vinhos que produzem.

 

1 comentário:

  1. Uma prova verdadeiramente especial esta... Os nossos leitores sabem que a Quinta do Monte d'Oiro reúne muitas preferências em toda a equipa do Copo Meio Cheio... Desde os Lybra Branco e Tinto, passando pelo Madrigal e continuando depois pelos extraordinários Têmpera, Aurius e Reserva, para além de coisas verdadeiramente exclusivas como Ex. Aequo ou Syrah 24, estamos na presença de um portefólio extraordinário... Em particular os Têmpera, são vinhos extraordinariamente gastronómicos como o Gonçalo aqui bem demonstra, feitos para uma boa mesa portuguesa, com certeza! Apenas temos de saber esperar por eles, deixá-los fazer o seu percurso na garrafeira, para depois nos proporcionarem momentos de puro prazer... Assim se explioca que a estrela maior desta vertical tenha brilhado sobre a edição de 2005... Estava mais que visto!! Grandes vinhos... A serem conhecidos por todos os enófilos!

    ResponderEliminar

UA-64594990-1