Sabores do Norte

Há uns dias fui "convidado" para comer um Arroz de Lampreia, um prato tipico do Norte, algo desconhecido e raro por estas bandas. Sendo uma refeição de sabor intenso limitei a escolha do vinho a tinto do Dão, Douro ou Trás-dos-Montes. Numa vista de olhos pela garrafeira acabei por escolher dois tintos do Dão, e ambos foram do agrado dos presentes.... um alivio...
 
A primeira escolha recaiu sobre um Quinta da Giesta Tinto 2009 produzido pela Sociedade Agrícola Boas Quintas, Dão, do enólogo Nuno Cancela de Abreu. Com um preço de referência abaixo dos 5 euros é sem dúvida uma óptima opção, com uma boa relação preço/qualidade. Produzido a partir das castas Touriga Nacional, Tinta Roriz e Jaen, mostra um bom equilibrio com alguma frescura a fazer lembrar futos vermelhos, o que o torna um bom companheiro para a mesa. Encontra-se com alguma facilidade em grandes superfícies ou garrafeiras.
 
A segunda escolha foi um Quinta dos Carvalhais Colheita Tinto 2008, um Dão produzido na quinta que dá nome ao vinho, propriedade da Sogrape. Produzido a partir das castas Touriga Nacional, Tinta Roriz e Alfrocheiro, mostrou-se mais encorpado e denso que o anterior, com alguma acidez, algumas especiarias, resultando num conjunto bem equilibrado. Também ele um bom companheiro para a mesa, facilmente acompanha uma boa gama de pratos. O preço de referência ronda os 9 euros, e encontra-se com alguma facilidade em grandes superfícies ou garrafeiras.

1 comentário:

  1. Amigo Jerónimo, as referências que escolheste para essa harmonização parecem-me interessantes :-) Se no caso do Quinta da Giesta 2009 Tinto não teria à partida muitas expectativas de um modo geral, já com o Quinta dos Carvalhais 2008 Tinto que bem conheço, é outra história... No entanto em ambos os casos teria dúvidas sobre a sua adequação a este prato tipicamente Minhoto e de difícil ligação à mesa de qualquer enófilo... Pede normalmente um tinto encorpado e com boa acidez que se consiga envolver nos fortes sabores do bicho em questão... Todos os anos tenho uma experiência com este prato, e sempre tem sido acompanhado de um tinto da região do Minho, um 100% vinhão, seja "caseiro" ou de produção comercial, como aconteceu este ano com o Aguião 2010 Tinto... Mas a abertura a outras opções menos óbvias é sempre bastante refrescante!!

    ResponderEliminar

UA-64594990-1